Importância de ingerir alguns nutrientes a partir dos 50 anos
Os nutrientes essenciais são sempre necessários, mas a partir de uma certa idade é preciso reforçar o consumo de alguns.
Quando se trata de nutrientes essenciais, estamos a referir-nos a elementos sem os quais o corpo não pode funcionar como vitaminas, minerais, proteínas, gorduras e carboidratos. Fornecer esses nutrientes ao corpo através da alimentação é a base para que tudo funcione bem, uma vez que o nosso corpo não é capaz de sintetizá-los naturalmente.
 
Esses nutrientes podem ser divididos em dois grupos: macro-nutrientes (proteínas, gorduras e carboidratos) e micro-nutrientes (vitaminas e minerais).
 

Reforço a partir dos 50

 
Na chegada aos 50 anos, o metabolismo passa a ser mais lento, e nem sempre é possível tirar o máximo de proveito de certos alimentos. É importante reforçar a suplementação para prevenir problemas nos ossos e articulações e melhorar a memória.
Alguns nutrientes que não podem faltar no seu organismo:
 

Cálcio

 
O desgaste ósseo leva ao desenvolvimento da osteoporose com o avanço da idade. O cálcio é também fundamental para manter o ritmo cardíaco e para a saúde do cérebro: permite que os neuro-transmissores funcionem com qualidade, de forma que os estímulos neurológicos aconteçam normalmente.
 

Zinco

 
Depois dos 50 anos, há uma diminuição natural da imunidade, que é reforçada com a ajuda do zinco. Tem ação antioxidante, desacelerando o envelhecimento das células e ajuda a manter o tamanho da próstata, geralmente aumentada com a idade.
 

Vitamina D

 
A vitamina D é necessária para que o organismo consiga absorver o cálcio e aproveitá-lo.
O envelhecimento leva a uma diminuição da absorção intestinal da vitamina D ativa e da capacidade da pele de produzir o seu precursor, a vitamina D3. 
 
Existem outras fases da vida em que tem que reforçar alguns nutrientes e outros. Por exemplo, durante a menstruação das mulheres os alimentos ricos em cálcio, magnésio e potássio ajudam a sentir mais energia e a ter um ciclo menstrual melhor. Se falamos de pessoas que praticam desporto de uma forma ativa, devem prestar mais atenção ao consumo de gorduras e proteínas.